quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Porque a gente se separa de quem a gente ama? Dicas para manter seu casamento sempre saudável

Quando o divórcio foi regulamentado no Brasil, em 28 de junho de 1977, vinha atender a uma demanda crescente de casais que queriam desfazer os vínculos jurídicos de uma relação em que os laços emocionais já não existiam mais. Hoje os reflexos dessa transformação ainda estão definindo seu contorno.
De acordo com os últimos números do IBGE, após números records de divórcios em 2011, o Brasil vê sua redução ao mesmo tempo em que aumentam, coincidentemente em igual proporção (1,4%), o número de casamentos. 

Na prática isso significa três casamentos para cada divórcio. Afinal, por que a gente se separa de quem a gente ama? 
Os números levam a algumas reflexões. Desde 2010 divorciar ficou mais fácil graças ao fim do período mínimo de separação antes exigido - o que explica um aumento significativo em 2011. No entanto, se os números de casamentos está praticamente triplicando em relação ao de divórcios isso pode significar um cuidado maior com a relação a dois, uma nova postura emocional de valorização de quem se ama. 
Você quer que seu casamento seja perfeito, é claro, e isso começa já pela comemoração dessa união tão especial. A harmonia do casal se reflete na organização do evento, quando os dois tomam decisões em conjunto, satisfazendo ambos os sonhos e gostos. Lembre-se que a festa é do casal, e não de um dos dois, e que quanto mais isso transparecer mais o vínculo entre vocês ficará fortalecido. Chame-o para escolher cores, músicas, temas, decoração, buscar inspiração em sites especializados, como o iCasei, que tem um guia com os principais fornecedores para sua festa ser perfeita
Afinal, casamento é uma arte, a arte de ser um sendo dois, de manter a sua individualidade e respeitar a do outro, sem predominâncias nem anulações. 

É respeitar as diferenças que só aparecem depois de meses de convivência diária sob o mesmo teto e conseguir ser companheira mesmo quando a fragilidade do outro parecer um defeito irrecuperável - e saber relevar quando o outro não têm a atitude que se espera. 



Afinal, debaixo do mesmo teto estão também antigos hábitos de cada um, novas contas e dívidas, novas expectativas, provavelmente um novo membro na família. Com eles chegam também um novo olhar sobre o presente e o futuro, e até um certo desespero ao olhar o passado e o achar tão distante. Mas não irrecuperável. 
Sim, é possível ser um eterno namoro, mas lembre-se que nada do que é bom e realmente vale a pena nessa vida, é fácil. 
É preciso resgatar a cada dia cada chama daquela paixão ardente que os uniu, fazendo do sexo uma arma poderosa de união, de transmutação de sentimentos ruins que tenham sido gerados por conta da rotina em elementos de harmonia profunda, indestrutível. 
Valorizar, desde o início, pequenos rituais a dois, como cozinhar juntos nos almoços de domingo, ter uma noite para dormir fora de casa, assistir a bons filmes nas tardes chuvosas com as pernas entrelaçadas, e manter gestos simples, como andar de mãos dadas mesmo que seja no caminho para o mar, na praia. É rir da piada sem graça que ele conta, segurar o bocejo quando o assunto for completamente desinteressante, abrir um sorriso estonteante para aquele amigo chato que ele trata como irmão.




Tem gente nova na casa? Chame-o para ajudar a trocar fralda, incentive que ele passeie a sós de vez em quando com o bebê fortalecendo os laços entre pai e filho, dando um certo espaço e privacidade à relação - enfim, estimule-o a efetivamente participar da rotina do filhote, porque filho não segura homem, como os antigos falam, mas a cumplicidade familiar fortalece o casamento. 

Imagine que a natureza preza o equilíbrio, e que é mais fácil receber de volta aquilo que se dá. Atenção, carinho, amor, cumplicidade e paixão não são apenas palavras, são pequenas atitudes que se fortalecem no dia a dia - e que fazem os índices de divórcio caírem cada vez mais.


**Este não é um publieditorial.
A matéria recebida é uma contribuição do Site iCasei, o assunto abordado identifica-se com o "Casar é assim" e tem como objetivo ajudar os leitores do blog. **

Imagens: Google

5 comentários:

  1. Ótimo texto, realmente quando nos deparamos com defeitos, manias e etc do parceiro, coisas q antes não conhecíamos, a relação ou se fortalece de vez ou desanda rs
    O problema tbm é que as pessoas cada dia mais não querem abrir mão, ceder e a falta de maturidade tbm tem levado muitos casamentos ao divorcio.

    http://morenaemoderna.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Adorei o post, perfeito para os dias de hoje onde tudo é motivo para separação..
    Beijo
    ;)
    www.umalindapromessa.com

    ResponderExcluir
  3. Estou alegre por encontrar blogs como o seu, ao ler algumas coisas,
    reparei que tem aqui um bom blog, feito com carinho,
    Posso dizer que gostei do que li e desde já quero dar-lhe os parabéns,
    decerto que virei aqui mais vezes.
    Sou António Batalha.
    Muita paz.
    PS.Se desejar visite O Peregrino E Servo, e se o desejar
    siga, mas só se gostar, eu vou retribuir seguindo também o seu.

    ResponderExcluir
  4. Excelente post Gabi
    Manter um casamento saudavel é uma arte,rs..e infelizmente para mtos casais tudo é motivo pra separaçao,ne
    bjo

    ResponderExcluir
  5. Adorei!!!
    Existem dias difíceis, mas se houver amor, tudo vai se resolvendo!
    Bjss
    http://formandonossafamilia.blogspot.com

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...